Portal UnirioGuia Telefônico Contatos
Você está aqui: Página Inicial

Sobre

Imagem de capa

Área de Concentração em Ensino das Práticas Musicais

 

Pesquisa de processos de ensino e aprendizagem em música, apoiada por saberes ligados às técnicas instrumentais, interpretação, criação musical e organização curricular, articulados com práticas contemporâneas do ensino da música em nível fundamental e médio, de caráter formal e não formal.  

Linhas de Pesquisa: Ensino das Práticas Musicais

 

Desenvolvimento de estudos dos processos de ensino da música, com ênfase em técnicas interpretativas e suas aplicações ao ensino instrumental, vocal, e de música em conjunto. Pesquisas de inovações metodológicas, aperfeiçoamento de técnicas e soluções científicas relativas à prática do fazer musical sob o ponto de vista do músico-educador, fundamentadas em suas atividades práticas.

 

Cooperação

 

O PROEMUS apresenta uma ampla gama de possibilidades de atuação em cooperação, a saber: (a) com os cursos de graduação em música da UNIRIO e de outras universidades, através de propostas de novas metodologias de aprendizagem, pesquisas acerca de técnicas instrumentais, modelagem de novos formatos de práticas de conjunto, pesquisa aprofundada em literatura musical e repertório, e desenvolvimento de tecnologias para o ensino da música; (b) com projetos sociais da Região Sudeste que, de forma crescente, utilizam-se do ensino de música instrumental de diversos estilos e gêneros como elemento essencial em seus processos educacionais, atingindo um número crescente de alunos e oferecendo melhores possibilidades de emprego para os futuros egressos do Programa, tanto em grandes centros urbanos como em cidades do interior; (c) com a comunidade, através do fortalecimento de programas de extensão do Instituto Villa-Lobos, uma vez que o Programa de Mestrado Profissional atenderá a um público formado principalmente por instrumentistas já graduados cuja carreira se volta especificamente para o fazer musical do público amador; e (d) com a rede escolar pública e privada, especialmente após a aprovação da Lei No 11.769, que estabelece a obrigatoriedade do ensino de música nas escolas de educação básica.

 

Objetivos

 

  1. Qualificar mestres para a atuação nas áreas de ensino da música e da prática de música em conjunto, enfatizando a transformação e a contextualização dos procedimentos de ensino em função das demandas das organizações onde atuam. 

  2. Fomentar a pesquisa de técnicas inovadoras para o ensino da música nos segmentos fundamental e médio de escolas públicas e privadas. Incentivar a reflexão e a investigação de processos práticos de educação musical, com base na Lei Lei No 11.769. 

  3. Estimular a investigação sobre novas tecnologias e equipamentos para utilização em processos de educação musical, seja na escola formal ou no ensino informal. 

  4. Investigar possibilidades de utilização da modalidade de ensino à distância no âmbito das práticas musicais nos variados ambientes onde esta ocorre atualmente. 

  5. Pesquisar possibilidades de ampliação dos espaços de atuação do músico, a partir de uma perspectiva interdisciplinar de sua atividade profissional.

 

Justificativa

 

O mercado de trabalho de bacharéis em música, especialmente na área de práticas interpretativas, seja na área vocal ou instrumental, é em grande parte constituído por atividades de ensino e aprendizagem. Mesmo os instrumentistas afiliados a orquestras e coros profissionais, desenvolvem, frequentemente, carreiras ligadas a essa área.

Esses profissionais são geralmente instrumentistas de alto nível, mas que durante sua formação pouco contato tiveram com processos de ensino da música, de instrumento ou mesmo com a condução de práticas do fazer musical coletivo. Trabalham como professores nessas áreas, seja na escola formal ou no ensino informal de música, em cursos livres ou mesmo em aulas particulares. Assim, tais profissionais encontram obstáculos específicos em sua atividade sem necessariamente poder contar com um espaço para a reflexão e debate acerca deles. 

Uma grande parte dos desafios da Educação Musical no Brasil são engendrados, entre outros, por uma necessidade de contextualização entre o ensino da música, as matrizes que norteiam a organização escolar brasileira e as relações sociais contemporâneas, assimiladas com rapidez cada vez mais célere por alunos de todas as idades. Ao estimular a inovação e a reformulação de possibilidades nas práticas de ensino e aprendizagem da música, o PROEMUS dialoga com estas de forma mais franca, posicionando-se para oferecer aos seus alunos condições de atuar como líderes nesses referidos processos de mudança pelos quais passa a educação musical no Brasil.

Também o rápido desenvolvimento tecnológico de produtos relacionados à atividade musical deslocou uma série de paradigmas que sustentaram e formataram o ensino da música nos últimos séculos. A maior participação dos aprendizes no processo, ao determinar tempos, formas e espaços próprios, sugere questões que antes sequer eram discutidas. Mais ainda, as possibilidades geradas pelos processos virtuais deslocam a figura do educador, que se vê a procura de novas metodologias para dialogar com seus alunos. Mais que a necessidade de se buscar linguagem e espaço novos, é necessário lidar com novos equipamentos e meios. A estrutura curricular do PROEMUS cria condições para que a procura de soluções e a descoberta de novos caminhos dessa educação aconteçam. Entretanto, diferente do que acontece habitualmente nos cursos de Licenciatura em Música ou nos trabalhos de pós-graduação na linha de Ensino e Aprendizagem da Música, o trabalho dos alunos está voltado para questões e problemas surgidos na prática, relacionados diretamente ao fazer musical, seja pelo viés instrumental, vocal, da composição ou da direção de grupos musicais.

A tendência percebida na produção musical contemporânea, de não-fixação em espaços tradicionais, também se verifica na educação musical da atualidade, transladando-a para locais antes considerados inapropriados. Junto com esse fato, a assimilação pela Educação Musical das músicas folclórica, popular, religiosa, “erudita”, eletrônica, hoje em igualdade de condições com o repertório ocidental tradicional, também reforça a necessidade premente de abertura de um espaço nos estudos deste Programa, direcionado às questões práticas relacionadas com o fazer musical. Mais ainda, nesse momento histórico em que a Universidade procura se aproximar da sociedade, o diálogo com aqueles profissionais inseridos no mercado de trabalho e da ação prática sugere que o PROEMUS não só abre a possibilidade de prestar um serviço inovador a seu público, mas também colabora para a abertura de um amplo canal de contribuições desses profissionais para com a Universidade.

Menu

Sobre

COLÓQUIO 2018

Seleção 2018

Institucional

     Matriz Curricular

     Documentos

     Calendários

Docentes

Projetos

     Turma de 2014

     Turma de 2015

     Turma de 2016

     Turma de 2017

Contatos

Links